July 12, 2016

Fatos importantes sobre a Baía de Guanabara

“Environmental Literacy for Guanabara Bay, Brazil”
(Portuguese translation by João Paulo Coimbra)

Série ‘Aprendizado Ambiental’ (Environmental Literacy Series)

  1. A Baía de Guanabaraé uma formação costeira tropical (22°S) com uma abertura restrita e que forma um porto natural no sudeste do Brasil com clima de monções.
  2. A bacia hidrográfica no entorno da Baía de Guanabara é um local internacionalmente icônico, incluindo as áreas metropolitanas tais como o Rio de JaneiroNiterói e São Gonçalo, praias como Copacabana e Ipanema, e atrações como o Pão de Açúcar e o Corcovado.
  3. A bacia da Baía de Guanabara suporta 8,6 milhões de pessoas vivendo em 16 municípios, com intenso desenvolvimento urbano e industrial e com amplo escoamento de esgotos não coletados ou não tratados contribuindo para a contaminação bacteriana, eutrofização e lixo.
  4. A Baía de Guanabara é rasa e lamacenta, exceto pelo canal central que possui sedimentos arenosos, possui várias ilhas e abriga manguezais remanescentes, pesca artesanal, e uma espécie ameaçada de golfinho.
  5. Fortes gradientes de qualidade das águas são observados na Baía de Guanabara, com áreas severamente degradadas no noroeste e áreas relativamente saudáveis onde as trocas de água com o oceano são favorecidas.
  6. Há uma forte base científica de pesquisas e monitoramento na Baía de Guanabara, uma preocupação pública expressiva a respeito do estado ecológico, porém, uma frustração generalizada sobre a falta de progresso na recuperação da Baía de Guanabara.
  7. O Rio de Janeiro foi o local de uma reunião significativa da cúpula das Nações Unidas (1992), cidade anfitriã da final da Copa do Mundo (2014) e sediará os Jogos Olímpicos de Verão (2016), eventos onde as questões ambientais e sociais são colocadas em evidência no cenário mundial.

 

1. A Baía de Guanabara é uma formação costeira tropical (22oS) com uma abertura restrita e que forma um porto natural no sudeste do Brasil com clima de monções. 

Primeiramente acreditou-se que a Baía de Guanabara era um rio e o nome Rio de Janeiro foi o seu nome original, baseado na descoberta pelo explorador português Gaspar de Lemos no dia 1 de janeiro de 1502. Rio de Janeiro é agora o nome da cidade e do estado adjacente à Baía. A Baía de Guanabara forma um maravilhoso e amplo porto natural com entrada restrita. A abertura da Baía é relativamente profunda (20-30 m) e descarrega águas oceânicas no resto da Baía com amplitude de maré de 0.7 m, renovando 50% da água a cada 11 dias. O clima tropical inclui prevalescentes ventos alísios do sudeste. Essas brisas costeiras moderam as temperaturas quentes do verão. A estação chuvosa é o verão (janeiro-abril) e o resto do ano é tipicamente seco. O litoral encarando o sul é frequentemente afetado por grandes frentes provenientes do oceano sul, levando a mudanças climáticas rápidas e fortes temporais com ondas. A Corrente do Brasil é uma corrente oceânica quente do Oceano Atlântico Sul que se movimenta paralelamente à costa leste da América do Sul e é tipicamente uma corrente que domina a margem oceânica ocidental como a Corrente do Golfo no Atlântico Norte e a Kuroshio no Pacífico Norte, porém, a Corrente do Brasil é mais fraca e move-se mais lentamente.

Satellite image of Guanabara Bay. Credit: NASA (Public Domain)

Imagem de satélite da Baía de Guanabara. Crédito: NASA (Wikimedia Commons)

 

2. A bacia hidrográfica no entorno da Baía de Guanabara é um local internacionalmente icônico, incluindo as áreas metropolitanas tais como o Rio de JaneiroNiterói e São Gonçalo, praias como Copacabana e Ipanema, e atrações como o Pão de Açúcar e o Corcovado

A bacia hidrográfica da Baía de Guanabara é bastante plana, estendendo-se mais para as bordas para uma cadeia de montanhas costeiras. O Rio de Janeiro foi a primeira capital do Brasil e ainda é um dos motores econômicos do país. O Porto do Rio fica no centro do Rio de Janeiro e movimenta o transporte de vários produtos e também suporta o turismo. Além das atrações icônicas da cidade do Rio de Janeiro, a bacia hidrográfica também abriga um preservado manguezal e a região oferece diversas opções de trilhas e passeios nos quais as pessoas podem se conectar com o meio ambiente.

Guanabara bay viewed from Corcovado

A Baía de Guanabara vista do Corcovado. Crédito: Creative Commons

 

3. A bacia da Baía de Guanabara suporta 8,6 milhões de pessoas vivendo em 16 municípios, com intenso desenvolvimento urbano e industrial e com amplo escoamento de esgotos não coletados ou não tratados contribuindo para a contaminação bacteriana, eutrofização e lixo

O Rio de Janeiro é a segunda maior cidade do Brasil (depois de São Paulo) com uma população em expansão. A parte oeste da Baía, onde se localiza a cidade do Rio de Janeiro, é caracterizada por áreas mais urbanizadas enquanto a porção leste ainda retém áreas mais preservadas e não tão fragmentadas. Porém, a parte leste da Baía também possui duas grandes cidades, Niterói e São Gonçalo. Uma das regiões com maior taxa de crescimento também se encontra no lado leste, no entorno do município de Itaboraí, onde está sendo construído o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ), uma área industrial com refinarias.

Desenvolvimento urbano e expansão de favelas e residências irregulares acontecem em ampla escala sem o desenvolvimento adequado de redes de esgotamento em toda a bacia hidrográfica, e as chuvas de verão, portanto, colaboram no envio de esgoto não tratado para a Baía de Guanabara, levando à contaminação bacteriana, eutrofização e poluição por lixo.

View of the Flamengo Park at night, with downtown Rio de Janeiro in the background.

Vista noturna do Parque do Flamengo, com o centro do Rio de Janeiro ao fundo. Crédito: Creative Commons

Rocinha. the largest favela (slums) in Brazil, is built on a steep hillside overlooking Rio de Janeiro.

Rocinha, a maior favela do Brasil, se expandiu em uma vertente íngreme que encara a cidade do Rio de Janeiro. Crédito: Creative Commons

 

4. A Baía de Guanabara é rasa e lamacenta, exceto pelo canal central que possui sedimentos arenosos, possui várias ilhas e abriga manguezais remanescentes, pesca artesanal, e uma espécie ameaçada de golfinho. 

A batimetria da Baía de Guanabara é impulsionada pelo profundo canal central conectando a Baía ao Oceano Atlântico e à sedimentação em águas rasas associada com a miríade de córregos e rios, que drenam para a Baía de Guanabara. Extensos manguezais alinhados a linha costeira da Baía de Guanabara; com um grande manguezal remanescente que aparentemente mantém o seu ritmo em relação ao aumento relativo do nível do mar. Apesar do declínio da pesca na Baía devido à degradação, a atividade ainda é uma fonte de renda para algumas famílias e a pesca recreativa é também praticada por inúmeras pessoas. Dos muitos cetáceos que costumavam frequentar e habitar a Baía, apenas o golfinho Guiana ainda é encontrado em torno da área de mangue protegida.

Land cover classification for Guanabara Bay basin

Mapa da classificação da cobertura do solo na bacia da Baía de Guanabara [pdf]. Crédito: intechopen.com (Lucia Ferreira de Moraes)

5. Fortes gradientes de qualidade das águas são observados na Baía de Guanabara, com áreas severamente degradadas no noroeste e áreas relativamente saudáveis onde as trocas de água com o oceano são favorecidas.

Gradientes de qualidade da água na Baía são afetados por (1) mudanças sazonais entre estações chuvosas e secas; (2) os lançamentos de contaminantes que são influenciados pela distribuição populacional e implementação de tratamento de esgotos; e (3) a circulação das águas marinhas. As partes norte e noroeste da Baía possuem a pior qualidade da água, pois são as regiões que recebem a maior carga de águas residuais e que sofrem com a baixa renovação hídrica. O canal central e a parte leste da Baía possuem uma significante melhor qualidade da água por causa da diluição com as águas marinhas.

water quality

Índice de Qualidade das Águas para a Baía de Guanabara [pdf]. Crédito: INEA

Location of wastewater treatment plant. Credit: Fistarol et al 2015

Local das estações de tratamento de esgotos. Crédito: Fistarol et al 2015.

 

6. Há uma forte base científica de pesquisas e monitoramento na Baía de Guanabara, uma preocupação pública expressiva a respeito do estado ecológico, porém, uma frustração generalizada sobre a falta de progresso na recuperação da Baía de Guanabara.

Existe um significante número de universidades federais, estaduais e particulares no entorno da Baía de Guanabara, assim como também várias agências governamentais, que conduzem pesquisas e monitoramento. Muitos pesquisadores em uma gama de áreas científicas, estudam a Baía de Guanabara. O Instituto Estadual do Meio Ambiente (INEA) realiza o monitoramento da qualidade das águas da Baía e dos diversos rios em sua bacia hidrográfica. Em 2011, um “Pacto pelo Saneamento” foi promulgado pelo governo do Estado do Rio de Janeiro objetivando a universalização do saneamento público na região. Mesmo que algum esforço esteja acontencendo, as metas do pacto não estão sendo atingidas em tempo hábil e, portanto, a má qualidade das águas da Baía e seus afluentes ainda é um grande problema.

Main conservation units in Guanabara Bay basin

As principais unidades de conservação na bacia da Baía de Guanabara [pdf]. Crédito: intechopen.com (Lucia Ferreira de Moraes)

7. O Rio de Janeiro foi o local de uma reunião significativa da Cúpula das Nações Unidas (1992), cidade anfitriã da final da Copa do Mundo (2014) e sediará os Jogos Olímpicos de Verão (2016), eventos onde as questões ambientais e sociais são colocadas em evidência no cenário mundial.

A Cúpula da Terra patrocinada pelas Nações Unidas em 1992 foi uma notável conferência sobre o Desenvolvimento Sustentável e foi realizada no Rio de Janeiro. O evento contou com representantes de vários países e uma conquista importante da reunião foi a Convenção sobre Mudança Climática, que levou ao Protocolo de Kyoto e ao Acordo de Paris. Alguns documentos produzidos na ECO-92 foram a Agenda 21, a Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, e os Princípios das Florestas. Outro evento realizado no Rio de Janeiro foi a Copa do Mundo de 2014. Este evento foi altamente esperado e o Estádio do Maracanã foi reforçado e remodelado antes da Copa. Pessoas viajaram de todo o mundo para visitar o Rio durante a Copa.

O próximo evento importante que ocorre na cidade do Rio de Janeiro são as Olimpíadas de 2016, que está promovendo a consciência social sobre as águas poluídas da Baía de Guanabara. A limpeza da Baía de Guanabara foi um dos compromissos assumidos durante a escolha do Rio como sede para o evento esportivo, no entanto, o progresso não ocorreu nos passos esperados (AP, Junho 6, 2016).

UN Summit held in Rio

A Conferência das Nações Unidas de 1992 sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento Sustentável foi realizada no Rio de Janeiro. Crédito: www.wakeupkiwi.com

Maracanã Stadium in Rio de Janeiro has been used for both local and international football games. It was the venue for the finals for the 2014 FIFA World Cup hosted by Brazil.

O Estádio do Maracanã no Rio de Janeiro é utilizada para partidas de futebol locais e internacionais. Foi o local onde ocorreu a final da Copa do Mundo de 2014, sediada pelo Brasil. Crédito: Creative Commons

 

Referências:

Print Friendly
Related Projects

About the author
Dr Bill Dennison is a Professor of Marine Science and Vice President for Science Applications at the University of Maryland Center for Environmental Science (UMCES). Dr Dennison’s primary mission within UMCES is to coordinate the Integration and Application Network.
Website: http://ian.umces.edu/people/Bill_Dennison/
Email the author | See all posts by



Filed under: Environmental Literacy — Tags: , — Bill Dennison @ 11:00 am

1 Comment »

  1. Que maravilha, lindo o Rio.

    Comment by rafael — September 6, 2016 @ 9:13 am

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment